“Dor nas juntas” – Osteoartrite (artrose)

with 15 comments

As “dores nas juntas” são uma queixa bastante comum no consultório médico e envolvem um grupo amplo de doenças reumáticas, ortopédicas e articulares. Entre estas, uma que vem tendo uma incidência cada vez maior é a osteoartrite. A osteoartrite que também já foi chamada de artrose corresponde ao comprometimento não inflamatório das articulações, em um processo caracterizado pela falha no reparo e dano à cartilagem articular devido a alterações biomecânicas e bioquímicas.

A maior incidência desta doença nos últimos anos se deve ao envelhecimento progressivo da população assim como as maiores taxas de obesidade. A idade é o fator de risco mais importante na osteoartrite. Em um estudo radiográfico entre mulheres com mais de 45 anos de idade, apenas 2% tinham osteoartrite; entretanto, entre 45 e 64 anos de idade, a prevalência atingiu 30%, chegando a 68% nas mulheres com mais de 65 anos. Nos homens, os valores observados foram semelhantes, embora um pouco mais baixos, nos grupos etários mais avançados. A obesidade é um fator de risco importante, uma vez que uma sobrecarga adicional em uma articulação lesada contribui para o avanço da doença. Existe uma relação hereditária para a doença, porém ainda não foi identificada nenhuma mutação específica na forma primária comum de osteoartrite. Traumatismo significativo e uso repetitivo das articulações também representam importantes fatores de risco para osteoartrite. A insuficiência do ligamento cruzado anterior ou a lesão do menisco podem levar à osteoartrite do joelho.

Manifestações clínicas

A manifestação clínica da osteoartrite é a dor articular que é descrita como uma dor profunda e localizada na articulação acometida. Comumente esta dor é agravada pelo uso da articulação e aliviada pelo repouso. Porém, com a progressão da doença a dor pode se tornar persistente. Pode ocorrer rigidez na articulação acometida após algum período de inatividade, porém tem curta duração (menos de 20 minutos em média). Manifestações sistêmicas não são uma característica da osteoartrite. Em geral a presença e severidade dos sintomas não estão associados ao grau de lesão.

Em geral, o diagnóstico de osteoartrite baseia-se nas manifestações clínicas e radiográficas. Nos estágios iniciais, a radiografia pode ser normal, porém o estreitamento do espaço articular torna-se evidente com a perda da cartilagem articular. Outros achados típicos incluem esclerose do osso subcondral, cistos subcondrais e osteofitose. Podem-se observar alterações no contorno da articulação, devido à remodelagem óssea e subluxação.

Tratamento da osteoartrite

O tratamento inicial é sintomático e voltado para diminuir a dor e o inchaço que são causas importantes de incapacidade funcional. Ademais, os objetivos do tratamento devem ser para melhora da qualidade de vida e prevenção da progressão da doença. O tratamento pode ser dividido em três modalidades: não-farmacológico, farmacológico e cirúrgico. Na maior parte dos pacientes estas três modalidades ocorrem em conjunto e de forma individualizada.

Há boas evidências de que o exercício físico possui efeitos positivos para a osteoartrite, desde que a articulação acometida esteja protegida adequadamente. Alguns exercícios são mais indicados que outros para determinada articulação, o que reforça ainda mais a necessidade de acompanhamento individualizado. Exercícios que promovam alongamentos e melhora da atividade aeróbica costumam ser mais efetivos, pelo menos no que se diz respeito à osteoartrite de joelho e quadril.

A perda de peso, apesar de difícil, é bastante efetiva na osteoartrite, em especial para o joelho. Uma perda de 5kg diminui em 50% a probabilidade de se desenvolver osteoartrite, além de que uma diminuição de peso diminui a dor e a progressão da doença que podem inclusive serem mensurados por biomarcadores da cartilagem e osso.

Diversas medidas comumente usadas como laser, estimulação nervosa transcutânea, ultrassom, eletroterapia ou acupuntura podem ser úteis, porém as evidências para estas medidas são fracas. Entretanto, a aplicação de gelo ou calor no local são medidas baratas e facilmente executadas com ótimos resultados terapêuticos.

Apesar de novas modalidades terapêuticas estarem sendo desenvolvidas para o tratamento da osteoartrite são as modificações dos hábitos de vida a principal maneira de se combater a doença. Alimentação adequada e exercícios físicos regulares evitam o desenvolvimento da obesidade e a sobrecarga das articulações. O uso correto das articulações no dia-a-dia também é um fator importante, uma vez que o uso repetitivo e excessivo da articulação também leva ao desenvolvimento da osteoartrite.

ResearchBlogging.org

Bijlsma JW, Berenbaum F, & Lafeber FP (2011). Osteoarthritis: an update with relevance for clinical practice. Lancet, 377 (9783), 2115-26 PMID: 21684382

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Posts relacionados:

  • Não exitem posts relacionados.
  • Murilo Abner
    Excelente.. minha avó, infelizmente, desenvolveu recentemente. O artigo é bem esclarecedor, porém gostaria de saber sobre possíveis medicações que podem ser usadas.

    Continue assim,

    Um abraço! ;-)

    • Rafael Pivovar
      Olá Murilo! Em relação as possíveis medicações já te adianto que as opções são grandes e como escrevi no post devem ser individualizadas. Dependem bastante da extensão da doença e outras condições de saúde da sua vó. Te adianto que variam desde analgésicos simples e anti-inflamatório não esteroides, à opiodes e corticoides. Mas reforço novamente que o cuidado deve ser individualizado. O artigo que usei de referência ao final do texto faz uma discussão maior neste aspecto. Recomento que você converse melhor sobre isso com o médico que acompanha a sua vó. Boa sorte!
  • Daniel Mattos
    Olá, tive uma fratura no tornozelo, vamos chamar de uma boa de uma fratura, perdi o movimento do tornozelo e fiquei com a *osteoartrite, sinto muita dor, mas no repouso eu nao sinto, tenho que ficar sempre de repouso, eu trabalho e precisava de algo bem efetivo pra melhorar, tem algo que posso fazer no caso do tornozelo?
    • Rafael Pivovar
      Olá Daniel, há medicamentos que podem aliviar sua dor e terapias para melhorar sua mobilidade. Você está fazendo acompanhamento médico? Melhoras! Abraço!
  • Daniel Mattos
    Sim estou, estou fazendo o acompanhamento no Hospital Glória na Liberdade – SP so que la nao tenho muita ajuda, pode parecer sacanagem minha mas la e um relaxo, sempre me falam a mesma coisa e nao me ajudam em nada ¬¬. estou tomendo agora um remedio chamado HARPAGOPHYTUM PROCUMBENS 400mg, iniciei hoje, seré que vou ter uma melhora? ando bastante de bicicleta nao sinto dor, mas tbm naum sinto melhoras. abrç.
    • Rafael Pivovar
      Não conheço este remédio e por isso pouco posso te ajudar. É importante que siga o tratamento que seu médico lhe orientou. Se há dúvidas procure conversar com ele. Melhoras! Abs!
  • Michele
    Olá, tenho 27 anos e fui contemplada a 6 anos com osteoartrite, a principio somente nos joelhos e de uns anos pra ca sinto dores intensas nos pulsos e coluna, estou tomando cloridrato de glucosamina a 20 dias e não notei melhora significativa, não tenho mais acompanhamento medico pois estou sem conveneo e como o medico disse que não tem cura nem perdi meu tempo procurando consulta em hosp. publico… Mas gostaria de saber se existe algum hospital publico que seja especializado nesse tipo de tratamento, obrigada
    • Rafael Pivovar
      Olá Michele, vários hospitais públicos tratam a osteoartrite (apesar de pelo que você falou o seu caso deve ser artrite reumatoide). Inclusive os postos de saúde também possuem profissionais qualificados para o seu tratamento. Procure o posto de saúde mais próximo da sua casa e se informe. Pode não haver cura, mas há tratamento e com ele você terá uma melhor qualidade de vida e deixará a progressão da doença mais lenta…espero ter ajudado!
  • Michele
    Obrigada, vou procurar o quanto antes, mas confesso que fico desanimada e triste pq sou muito jovem pra ter esse tipo de doença e tive que abrir mão do salto alto, da dança, bicicleta, caminhadas, entre outras atividades rotineiras… Eu queria um hospital que fosse mais especializado, tipo hosp. das clinicas que sempre teem novas tecnicas e não faço ideia de como conseguir consulta-la e não sei se existe outros como ele…
  • Murilo Abner
    Muito obrigado, Rafael.

    Abraço!

    • Rafael Pivovar
      ;)
  • kakanascinento
    sou kaka tenho 27 anos e estou com dores nos tornozelos e joelhos .só que as dores são mais fortes quando eu acordo e ao longo do dia vai diminuindo o quê pode ser ?
    • Rafael Pivovar
      Olá Kaka! Tudo bem?
      Sua dor tem características inflamatórias, pois ao contrário das dores do tipo mecânicas, estas são piores pela manhã e melhoram ao longo do dia. Te aconselho a procurar um médico para te examinar e melhor avaliar sua queixa!
      Obrigado pela visita!
  • aline
    olá! venho pedi ajuda,pois estou muito preocupada com a saúde de meu pai. Ele vem sentindo muitas dores nas duas mãos,e agora passando para a nuca. o que fazer para ajudar ao meu pai? ja fez os exames e os médicos falaram que é artrose. está sem poder trabalhar pois as mãos ja não abrem completamente.
    • Rafael Pivovar
      Olá Aline! Caso esteja insegura em relação ao diagnóstico e tratamento indicados para seu pai, sugiro expor tais dúvidas aos médicos do seu pai ou procurar uma segunda opinião. No post há bastante informações sobre a artrose que podem te ajudar. Havendo outras dúvidas pergunte! Terei prazer em ajudá-la! Boa sorte com o seu pai!
      Abraços!